n o n a d a

a história do jogo do bicho




a história do jogo do bicho começa ainda no brasil império com joão batista viana drummond, o primeiro (e único!) barão drummond. joão comprou as terras da imperial quinta do macaco, que pertenciam anteriormente a dona amélia, esposa de dom pedro i. após voltar de uma viagem pra a frança por volta de 1870, drummond se encantou pela arquitetura de paris e inspirado pelas alamedas e praças decidiu projetar um bairro nas terras que possuía. como era abolicionista nomeou o bairro de vila isabel, considerado o primeiro bairro projetado do rio de janeiro. a vila isabel foi fundada oficialmente em 1872.

dez anos depois, em julho de 1892, seria o dia de inauguração de uma série de atrações no jardim zoológico do rio de janeiro, propriedade do barão drummond que funcionava desde 1888. um ano antes da proclamação da república, em dezembro de 89. no período a prefeitura do rio buscava apoiar a expansão da cidade utilizando parâmetros europeus de ciência, modernidade e higiene (sim, higiene). a primeira petição pra abrir o zoológico foi feita ainda em 1884, no dia 5 de agosto. a câmara municipal da corte elenca entre os motivos para abrir um zoológico:

Segunda - Na fundação deste estabelecimento guardará todos os preceitos da arte moderna e distribuirá os diferentes tipos animais de acordo com a melhor classificação, guardando no tratamento as prescrições higiênicas aconselhadas pela ciência. Quinta – Fará aquisição do maior número possível de tipos animais aumentando tanto quanto for possível a variedade das espécies, e principalmente daquelas raras e estranhas ao país, de modo a que o estabelecimento possa competir com os melhores desse gênero.

num processo que combinava higienização e saneamento, modernização e ordem, as atrações que divertiam a população não poderiam ser apenas entretenimento ou lazer. buscando construir uma capital, cujos parâmetros seriam as metrópoles européias, seria fundamental que neste tempo destinado ao ócio, as pessoas pudessem ser educadas, principalmente os trabalhadores.

a petição pelo zoológico foi aprovada em 84 nos seguintes termos: durante vinte e cinco anos a câmara daria exclusividade ao zoológico e anualmente a prefeitura pagaria a subvenção anual dez contos de réis ao barão de drummond para manutenção do empreendimento. linhas de bonde foram criadas para levar pessoas até a vila isabel (ajuda dizer que o barão tinha muitas ações no sistema interregional de estradas de ferro). no dia 03 de julho de 1892, um jantar foi oferecido para inaugurar uma série de atrações novas no jardim zoológico. o vice-presidente da república estava no jantar e foi homenageado com um brinde.

Além das jaulas, gaiolas e viveiros presentes em qualquer empreendimento deste porte, a empresa de Drummond contava com um hotel “nas melhores condições, um magnífico restaurante e tinha em construção um grande salão especial para concertos” Além destas atrações o público poderia passar o seu tempo divertindo-se em animados bailes públicos, com circo de cavalinhos e variados espetáculos, além de poder apostar em alguns jogos liberados para aquelas dependências, com o intuito de ajudar a manter o parque em funcionamento e contribuir para a modernização da cidade. Havia bilhar, carteado, jogo da pelota, frontão e outros.

essa noite do jantar inauguraria uma atração inédita no jardim zoológico: o sorteio dos bichos. cada ingresso tinha um animal impresso e custava mil réis. na entrada do zoológico, uma caixa de madeira ficava pendurada num poste. dentro dela, uma gravura com um de 25 bichos. no fim da tarde era revelado o bicho do dia, e todos que deram a sorte de comprar um ingresso premiado recebiam vinte mil réis da direção. o primeiro bicho foi a avestruz. 23 pessoas ganharam o prêmio. se no primeiro dia o avestruz pagou 460$000 de prêmios, duas semanas depois o cachorro pagaria 2:080$000, fazendo felizes mais de cem pessoas.

o jogo dos bichos foi um sucesso instantâneo. jornais anunciavam todos os dias que a vila isabel não dispunha de carros suficientes pra transportar todos os visitantes. percebendo a popularidade dos sorteios, o barão de drummond autorizou a venda de tickets para o parque fora dos muros do zoológico. alguns dias depois da inauguração dos jogos, publicaram o seguinte anúncio:

Jardim Zoológico - Prêmios diários de 20$ a 40:000$ - Vendas de entradas na Rua do Ouvidor Nº 129 e no Jardim

o bilhete especificava que era válido por 4 dias. dessa forma, muitos começaram a comprar o bilhete fora do zoológico e aguardar a publicação do resultado do sorteio do dia interior no jornal de manhã. dessa forma, surgiram os primeiros problemas com a lei. duas semanas após o começo dos sorteios, o jornal O tempo publico em 23 de julho de 1982 o seguinte:

"Ao Dr. 2º delegado dirigiu ontem o Dr. Chefe de Polícia o seguinte ofício:No empenho de procurar atrair concorrência de visitantes ao Jardim Zoológico, solicitou o seu diretor para certo recreio público licença, que lhe foi concedida pela polícia, em vista da feição disfarçadamente inocente que da simples primeira descrição do divertimento parecia se deduzir. Entretanto, posta em prática essa diversão, se verifica que tem ela o alcance de verdadeiro jogo, manifestamente proibido. Os bilhetes expostos à venda contêm a esperança puramente aleatória de um prêmio em dinheiro, e o portador do bilhete somente ganha o prêmio, se tem a felicidade de acertar com o nome a espécie do animal que está erguido no alto de um mastro.Esta diversão, prejudicial aos interesses dos encantos, que com a esperança enganadora de um incerto lucro se deixam ingenuamente seduzir, é precisamente um verdadeiro jogo de azar, porque a perda e o ganho dependem exclusivamente do acaso e da sorte.Como semelhante divertimento não pode por mais tempo ser tolerado, e conquanto maior fundamento quanto é certo que muitas queixas me têm sido dirigidas pelas pessoas lesadas, assim intimarei ao diretor do Jardim Zoológico para que suspenda imediatamente a continuação do aludido jogo, sob pena de ser processado na conformidade dos arts. 369 e 370 do código penal."

o governo começou a colocar a figura do apostador como um coitado, refém de seus vícios. era contra a ordem e a moral. o jogo de azar era uma praga, um ato puro de vadiagem. se o zoológico recebeu permissão pra efetuar os sorteios dos bichos alegando que era um divertimento saudável e higiênico pra todas as classes sociais, agora ele havia tornado-se um símbolo de desordem pública.

no início da década de 1890 o rio de janeiro possuía cinco clubes de turfe (ou jóquei). sendo eles jockey club, o turfe club, o hypodromo nacional, o derby club e o prado guarany. o jockey era frequentado pela elite antiga e o derby atraía a elite emergente, que reunia intelectuais, engenheiros, médicos e profissionais liberais da época. o remo também era um foco de divertimento das elite. em 1903 o jardim zoológico havia perdido seu status anterior manchado pelo escândalo do sorteio do bicho. dessa forma, perdeu o apoio do prefeito e lhe foi negado o auxílio financeiro que sempre recebeu. nesse mesmo período os frontões, belódromos e boliches do rio também começaram a ganhar certo destaque e as autoridades municipais começaram a se incomodar com o movimento de apostas gerado por essas atividades.

em abril de 1895 o jogo do bicho foi posto na ilegalidade e o sorteio foi proibido dentro do jardim zoológico. acontece que àquela altura o sorteio há muito já não era algo exclusivo do barão: os bookmarkers e loterias do rio incorporaram o sorteio ao mercado de jogos de azar. eles operavam nos armazéns de secos e molhados, em quiosques, em alguns estabelecimentos comerciais e com ambulantes. o que aparece em seguida é um caminho que pavimenta a forma como o jogo do bicho existe hoje.